quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Educandos do curso Gestão de Alimentos apresentam trabalhos de conclusão de curso



No último dia 10 de dezembro, os educandos do curso Gestão de Alimentos, do Programa Paineira, apresentaram seus trabalhos de conclusão de curso (TCCs), no CEU CasaBlanca.

Ao todo, 98 educandos apresentaram suas empresas fictícias: Juju Doces; Senhor Sabor; Espetinhos 5 Estrelas; Pizzas Creck; Chocoart e Energia Para a Vida, que fizeram parte do Encontro Cultural 2018 – Território de Possibilidades –  clique eveja como foi o evento – para a banca de avaliadores formada por: Daniela Meira, educadora da Biblioteca da Julita; Wesley Batista, ex-educador da Julita e Diana Gomes, educadora da Julita. Também estavam presentes colegas e familiares dos jovens.

Durante todo o semestre os educandos tiveram aulas teóricas e práticas sobre a criação e a preparação de alimentos; estrutura e funcionamento de empresas com estudo de público-alvo, criação de logotipo, marketing, comercial, financeiro, captação de patrocínio, atendimento ao público.

Além da formação técnica, conceitos como empatia, trabalho em equipe, noções de responsabilidade foram desenvolvidos ao longo do percurso, para que os jovens também pudessem desenvolver o relacionamento interpessoal.


NOVAS OPORTUNIDADES E SONHOS

A Fundação Julita recebe todos os semestres jovens cheios de sonhos e desejos. E, desta vez, um educando veio diretamente da Bahia:

Eu entrei na Julita esse semestre e desde então eu mudei muito! Estou mais estudioso e feliz! Eu gosto das aulas de Educação Ambiental, Gestão de Alimentos, informática, esporte”. – Leonardo Santana, 15 anos, aluno do curso Gestão de Alimentos da Julita, cuja família está há dois anos e meio em São Paulo. Eles vieram da Bahia em busca de melhores condições de vida.
Leonardo Santana

Já a jovem paulistana Raquel Oliveira, que gosta de escrever, aprecia poesia e é fã do poeta Sérgio Vaz, o curso foi uma grande fonte de inspiração.

Foi uma oportunidade de conhecer gente nova, trabalhar em equipe, montar uma empresa. Nós fizemos coisas que eu não imaginava que conseguiríamos fazer.  É uma experiência muito gratificante; para muitos, a única na vida. A poesia reúne tudo o que eu e meus amigos achamos da Julita. Eu peguei a opinião de cada um sobre esse semestre incrível e fiz a poesia!“ – Raquel Oliveira, 16 anos, educanda do curso Gestão de Alimentos da Julita.

Raquel Oliveira



Poesia criada




CONFIRA ALGUMAS FOTOS 














terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Encontro de Jovens Monitores reúne gerações

Em torno de 60 jovens participaram do encontro de alunos e ex-alunos do curso “Jovens Monitores em Esporte”. A atividade reuniu gerações de educandos da Fundação Julita.
O projeto “Jovens Monitores em Esporte”, que existe desde 2012, trabalha o projeto de vida dos educandos incentivando o ingresso de jovens da comunidade no curso superior de Educação Física, visando uma formação humanista que posteriormente devolva à comunidade todo o conhecimento acadêmico adquirido em prol do desenvolvimento local.

Com apenas 7 anos de existência, o “Jovens Monitores em Esporte” já beneficiou 162 jovens, sendo que 24 ingressaram na faculdade de Educação Física e 10 jovens, em demais cursos acadêmicos.
O GRANDE DESAFIO ACADÊMICO

A Fundação Julita acredita na missão de incentivar os jovens a ingressarem no ensino superior, diante da necessidade de ter jovens da periferia ocupando as universidades, adquirindo conhecimento e devolvendo para a base, como uma forma de obter mudanças estruturais na sociedade, com mais inclusão, solidariedade e desenvolvimento local.
Porém, muitos desafios são colocados para os jovens da periferia quando o tema se trata de educação formal, o que se repete na questão do ensino superior.
Temos o desafio de quebrar algumas construções históricas que prega que o jovem tem que ir para o mercado de trabalho aos 14 ou 16 anos, aceitando qualquer função, e a universidade vai ficando mais distante e difícil. O jovem de periferia, especialmente, é cobrado o tempo todo pela sociedade, muitas vezes pela própria família, de que precisa trabalhar.
Com isso, o estudo acaba sendo deixado de lado”, analisa Jânio de Oliveira, Gestor Geral da Fundação Julita.
Além da falta de apoio das famílias, os jovens relataram no Encontro outras etapas que tiveram que vencer para chegar até a faculdade, como a falta de recursos para pagar a universidade e até mesmo os custos para frequentá-la e também o de completar o ensino médio. Fatores como esses nos levaram a procurar parceiros para o desdobramento do projeto, dando início ao “Comunidade em Movimento”, no qual 10 jovens recebem bolsa-auxílio e 9 deles bolsa-universidade para cursarem Educação Física na Universidade Senac. Em contrapartida, retornam o benefício por meio de monitorias de práticas esportivas que beneficiam 1.200 pessoas da comunidade.

HISTÓRIAS DE TRANSFORMAÇÃO

A educação libertadora é a base para transformar pessoas e pessoas transformam a sociedade. Veja os relatos dos jovens que vieram ao encontro:

Eu entrei na Universidade de Pedagogia graças à vivência que tive no Jovens Monitores fazendo atividades com as crianças. Eu fui me descobrindo nesse processo de educação”. – Lucas Andrade, ex-educando dos Jovens Monitores, atual educador do Programa Ipê-Amarelo da Julita.

Eu sempre quis fazer Educação Física e quando tive a oportunidade de fazer esse curso foi maravilhoso porque pude vivenciar o que seria a minha profissão. Eu ingressei na faculdade e me senti tranquila, eu percebia que alguns colegas de classe tinham dificuldades que eu não tinha porque dentro do Jovens Monitores eu tive uma base muito boa. Tudo que eu planejei no meu projeto de vida está em andamento” –Vanessa Teixeira, ex-educanda do Jovens Monitores em Esporte, atual universitária do curso de Educação Física.

 “Eu entrei na faculdade de Educação Física através do Escola da Família onde atuo diretamente com crianças da comunidade. E, com o conhecimento que eu obtive no Jovens Monitores, já consigo mediar atividades nos fins de semana. O projeto, para mim, foi muito importante, até mesmo dentro da faculdade”. – Henrique da Silva, ex-educando do “Jovens Monitores em Esporte”, atual universitário do curso de Educação Física.

Estou na Julita há 8 anos, estudo com a minha irmã e nós dois vamos começar a Faculdade juntos. Tudo isso é muito precioso! Por questões financeiras, nós não iríamos conseguir entrar na faculdade, agora seremos os primeiros da família a ingressar na universidade”, Bruno Cunha, estudante de Educação Física pelo projeto Comunidade em Movimento da Julita.
Estou há 10 anos na Julita. Cheguei a entrar na Faculdade em 2015, mas tive que parar. Ano passado tentei de novo cursar e não consegui. Então, quando surgiu essa oportunidade do projeto, eu fiquei muito feliz e pensei: ‘agora chegou a minha hora’! Esse projeto chegou no momento certo! Neste ano eu comecei a estudar”, Jemerson Araújo, estudante de Educação Física pelo projeto Comunidade em Movimento da Julita.
Pareiros
Desde 2012, o curso “Jovens Monitores em Esporte” só foi possível graças a parceiros como a Fundação Prada que acreditou no potencial dos jovens beneficiados. Em 2018, o projeto cresceu com o “Comunidade em Movimento”, contando com a parceria da Fundación Mapfre e do Senac, que financiam, respectivamente, a bolsa-auxílio e a bolsa integral das mensalidades da universidade.

Alunas da Julita recebem incentivo para se tornarem profissionais de Tecnologia

Educandas da Fundação Julita, beneficiadas pelo Programa Paineira (formação para o mercado de trabalho), participaram do workshop #SerMulherEmTech, organizado por Cecília Marshall,
que tem uma carreira consolidada na área de Tecnologia da Informação, com Mestrado em Tecnologia Instrucional na Universidade de Bloomsburg, Pensilvânia, nos Estados Unidos, e é líder de marketing na SAP Brasil.


Com a missão de inspirar meninas a conhecerem e a ingressarem na carreira de Tecnologia da Informação, o #SerMulherEmTech trouxe várias profissionais da área: Greyce Gois; Elisa Andrade; Karin Lorena; Cyntia Delabio; Regina Pistelli; Cristiane Vargas; Bartira; Jaqueline Rodrigues; Tatiana Veneroso; Cecilia Marshall; Regina Acher; Ana Laura e Fany Lupion, conselheira da Fundação Julita.
 que compartilharam seus conhecimentos e experiências, esclareceram dúvidas e mostraram todo um mundo de possibilidades, que existe dentro desse ramo, quebrando o preconceito de que mulheres não entendem ou não gostam de tecnologia.
Para o gestor geral da Fundação Julita, Jânio de Oliveira, “o  #SerMulherEmTech é uma importante oportunidade para as jovens da Fundação Julita, a fim de diminuir a distância entre o universo da tecnologia e as jovens meninas das periferias que têm interesse nessa área. Muito mais que isso, é também inspirá-las com a história de mulheres que quebraram barreiras e se tornaram exemplos de sucesso na profissão”.

É PRECISO QUEBRAR TABUS
 Em um mundo em que a tecnologia avança a passos largos, a inclusão de mulheres neste segmento é um grande desafio.
Dados apresentados no evento Por um Planeta 50-50: Mulheres e meninas na ciência e tecnologia, realizado pela Serasa Experian em parceria com a ONU Mulheres, em fevereiro deste ano, mostrou que apenas 17% do total de programadores brasileiros são mulheres.
Por isso, trazer esperança e mostrar para meninas de diversas idades que existem infinitas possibilidades dentro do universo da tecnologia é fundamental.
“O mundo da tecnologia é distante das meninas, isso é uma questão até cultural do Brasil, onde meninas são incentivadas a brincar com bonecas, e meninos com joguinhos. Então, o que queremos é plantar uma semente nessas meninas mostrando que é possível construir uma carreira dentro do mercado de tecnologia. E que, por meio dessa carreira, elas podem viabilizar muitos sonhos, com um emprego bem remunerado e estável. Viemos aqui na Julita mostrar que somos mulheres felizes, mulheres da tecnologia e incentivar para que essas meninas também sejam”, explica Cecília Marshall, idealizadora do #SerMulherEmTech.
#Dica: a Fatec da zona Sul fica localizada no Jardim São Luís e oferece curso gratuito de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, mas as vagas nem sempre são preenchidas.
A Fatec fica no endereço Rua Frederico Grotte, 322 - Jd. São Luís - Telefone: (11)5851-8949 - E-mail: secretaria@fateczonasul.edu.br - Site: www.fateczonasul.edu.br

Encontro Cultural da Julita incentiva a economia local

No último dia 01 de dezembro, a Fundação Julita realizou o Encontro Cultural 2018 – Território de Possibilidades – com um público estimado em 1.500 pessoas.

O evento que teve como base o fortalecimento do território através da valorização da cultura, arte e economia local, reuniu 22 expositores da comunidade. Destes, treze empreendedores são ligados ao artesanato, literatura, design, moda, sustentabilidade, produtos orgânicos, tatuagem, cosméticos artesanais e 9 empreendedores, do ramo da gastronomia. Além disso, diversos coletivos e artistas musicais se apresentaram.
Para completar, educandos do curso Gestão de Alimentos, do Programa Paineira da Julita(formação de jovens para o mercado de trabalho), criaram miniempresas de alimentos e venderam os produtos no evento, como trabalho de conclusão do curso; os educandos do Programa Ipê-Amarelo realizaram a intervenção cultural "Museu do Futebol: Bebendo de outras Fontes"; organizaram a exposição "Violência doméstica e feminicídio"; organizaram  uma "Mini Copa" com o time trans Meninos Bons de Bola; as educadoras do Programa Castanheira fizeram a Contação de História: "Viajando pela África"; educandas do Programa Jovem Aprendiz da Julita fizeram grafite; o Centro de Educação Ambiental e o Programa Castanheira fizeram oficina de confecção de colares; ainda aconteceram: roda de capoeira, oficina de pintura em papel, oficina de tintas naturais; oficina de "Música Sample", com Luiz Ricas. 
Com isso, o Encontro Cultural 2018 – Território de Possibilidade – proporcionou uma tarde diferenciada para a comunidade reunindo famílias e amigos em prol do desenvolvimento local, mostrando que é possível adquirir e consumir produtos de qualidade, no próprio bairro, feitos por empreendedores, artistas e artesãos da região, respeitando todo o processo criativo de criação, produção e circulação.
UMA NOVA FORMA DE SER E PENSAR
O Encontro Cultural tem o intuito de fomentar novas formas de economia que, juntas, podem alavancar o desenvolvimento local, como a Economia Criativa e a Economia Solidária. Como a cultura pode influenciar o desenvolvimento local? No Encontro, vimos um retrato de como isso pode acontecer.
A Economia Criativa é um dos setores que mais cresce e rende milhões por ano. É o conjunto de negócios baseados no capital intelectual e cultural e na criatividade que gera valor econômico. Esse mercado criativo estimula a geração de renda, cria empregos e produz receitas de exportação, enquanto promove a diversidade cultural e o desenvolvimento humano. 
A Economia Solidária é um conceito que veio das cooperativas, associações, redes de cooperação. É um jeito diferente de produzir, vender, comprar e trocar o que é preciso para viver. Sem explorar os outros, sem querer levar vantagem, sem destruir o ambiente. Cooperando, fortalecendo o grupo, cada um pensando no bem de todos e no próprio bem.
Imagine um grupo de costureiras se unindo para comprar juntas um tecido. Daí, por conta de o pedido ser muito grande, todas conseguem um descontão. Isso é economia solidária!
 "Importante promover alternativas às práticas de economia tradicionais, reconhecendo valores como a cooperação, a criatividade e a identidade dos territórios”, completa o Gestor Geral da Fundação JulitaJânio de Oliveira.
 AGRADECIMENTOS
Nossa gratidão a todos os expositores, coletivos e artistas que ajudaram a fazer do Encontro Cultural 2018 – Território de Possibilidades – um grande evento!
 Coletivo Mulheres Negras; Aondê;  Rosângela; Além da Lenha; Marilda; Areia Bijoux; Coarte; Adriana; Sebo do augusto; Da Cor da Pele Ateliê; Stúdio Maha Tattoo & Microblading; e-Bairro; Flora Interior – TerapiasCathedral BurgerDany & Paulos DocesDoçura Explosiva; Tapioca do Hércio; RudiefoodieColetivo Dedoverde; Luciano; Ângela – (Acarajé); Jorge da Pipoca; Cortejo Nação Julita;  Grupo Cultura Popular Amapense; Apresentação de Dança NCI da Julita; Grupo Espírito de Zumbi; Grupo Raizarte; Samba Rock; Grupo Candongueiros do Campo Limpo; Orquestra de Violões Julita; Chuva de Caju; Soul TriboCassiano Cacique
VOLUNTÁRIOS
Leu DiCampana – Fotógrafo
Confira o álbum de fotos AQUI

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Confira a primeira chamada dos selecionados para o curso Centro Para Juventude/2019

Os selecionados devem comparecer no dia e horário marcado com os seguintes documentos:


Documentação necessária para matrícula (trazer cópias):
·         RG e CPF 
·         Comprovante de Residência
·         Declaração Escolar / Comprovante de conclusão do Ensino Médio
·         1 foto 3x4 do aluno
·         Cartão do SUS e/ou carteirinha do convênio médico
       Comprovante de renda  
           Caso receba algum benefício do governo (renda mínima, renda cidadã, Bolsa Família) trazer o Cartão do benefício.


LISTA PARA  MATRÍCULA  CENTRO PARA A JUVENTUDE
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
08h30 ANA VITORIA LIMA DA SILVA 
GABRIELLE APARECIDA DE SOUZA
GIOVANA OLIVEIRA NUNES
GISELLE CORREIA RIBEIRO
INES CAROLINE PIRES LIMA
NATHALIA VICTÓRIA  SILVA SANTO 
PEDRO HENRIQUE GAVIOLI SANTOS
SAMUEL AHRON DE SOUZA FERREIRA
TAINÁ SANTOS GARRUBA
TAUANE FERREIRA CARNEIRO
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
09h30 CYNDI CELLY FARIAS DE MORAIS
EMANUEL ALBUQUERQUE B. DE SOUZA DOS SANTOS
GABRIEL LOPES DA SILVA 
JOICE AMARAL PEREIRA
KAUANE BATISTA GOMES
MATHEUS GABRIEL DE SILVA NUNES
MAYARA KETHYLEEN SILVA FELIPE 
SAMIRA LIMA SILVA 
TATIANA PEREIRA DOS SANTOS 
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
10h30 BEATRIZ SILVA SANTOS
GABRIELA TRINDADE DE OLIVEIRA
GISELLE DOS SANTOS SILVA
GUSTAVO ARAUJO SILVA 
HELIO MARLON FREITAS FELIX DA SILVA 
JHONATHAN SOUZA ANDRADE
JULIA RODRIGUES CRAVO DO NASCIMENTO
LORRAINE NUNES BARBOSA
PAMELA SOARES MENDONÇA
YASMIM SOUZA SANTOS
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
11h30 ANA CLARA SOARES DE LIMA
CAYLANE RANY DOS SANTOS
ELLYDA LOUREDO DE SOUSA
JUAN VITOR GOMES DE OLIVEIRA
LUCAS DE MORAES RIBEIRO
MICHELE DE JESUS SANTOS
RAFAEL FERREIRA DE OLIVEIRA
STENSON SANGES 
VINICIUS DE MELO SANTOS
VIVIANE DA SILVA SANTOS
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
13h30 EDUARDA ARAUJO FIGUEREDO
BEATRIZ BERNADO DA SILVA
FABIO HENRIQUE DOS SANTOS 
FERNANDO DA SILVA ALMEIDA
GABRIEL FRANÇA DA SILVA
GIOVANA MARIA DOS SANTOS 
MURILO MOREIRA DIAS 
NICOLY CRISTINE GONÇALVES COELHO
SUELLEN CRISTINA GONÇALVES COELHO
VINÍCIUS DE MELO SANTOS
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
14h30 ANA CLARA SOARES DE LIMA
CAYLANE RANY DOS SANTOS
JOÃO VITOR DA SILVA
JUAN VITOR GOMES DE OLIVEIRA
JULLIANA DE SOUZA REGO
LARISSA MARTINS DE SIQUEIRA
LUCAS DE MORAES RIBEIRO
MICHELE DE JESUS SANTOS
TAISSA FEREIRA DELLI COLLI
VIVIANE DA SILVA SANTOS
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
15H30 ADRIELLE RAIANE SIQUEIRA DA SILVA
DANIELLE ALVES LIMA
GUILHERME REGO DE ANDRADE
IAN DE SOUZA SILVA
JENNIFER FAQUINI DE OLIVEIRA
JOÃO VITOR MOREIRA RIBEIRO
LUCINARA ALMEIDA SOUSA
MAYARA FAQUINI DE OLIVEIRA
MAYRA FARIAS DA SILVA SANTOS
SAMANTHA PIRES DE PAULA
DATA: Segunda feira 17/12/2018
Horário de matrícula Nome
16H30 ALANIS ALVES DE SOUZA
BRUNO ASSUNÇÃO SILVA
CAIQUE DE CARVALHO COELHO
DIOGO SOUZA SANTOS
HELLEN KAROLINE FREITAS BHERING
KAUÃ SANTIAGO LIMA
PEDRO VITÓRIO GONÇALVES LIMA
RYAN GABRIEL BARROS FERREIRA

DATA: Terça-feira 18/12/2018 CJ 
Horário de matrícula Nome
08h30 RAYANE CELINA SILVA FERNANDES
GUSTAVO VASCONCELOS FERMINO
GEOVANNY LIMA DAS DORES
GUILHERME ALVES SANTANA
GABRIELA MOREIRA DE SOUSA
AMANDA COSTA BARROS